terça-feira, fevereiro 07, 2006

Viseu, Universidade Pública

Ouvi numa rádio local que o Sr. Reitor da Universidade de Coimbra não quer que funcione em viseu a prometida, justificada, anunciada e em vias de implementação a desejada UP de Viseu.

Diz ele que em Portugal há um número excessivo deste tipo de ensino e que fica caríssimo ao erário público?

Sr. Reitor, que o Senhor defenda as suas ideias acho correcto e por enquanto ainda o podemos fazer muitas vezes com receio de retaliações. Agora defender a “sua quinta” acho extremamente limitador para um Portugal que todos queremos mais abrangente e solidário.

Não lhe vamos dizer que feche a sua Universidade para reduzir os custos, mas devia fechar algumas faculdades e alguns cursos em Coimbra. É isso que pretende? para que Viseu e outras regiões do país que sempre foram discriminadas em relação ao desenvolvimento que se quer harmonioso. Se fosse coerente diria que sim, mas como manifesta egocentrismo responderá que não.

Então não entende que o país está dividido em litoral e interior por falta desta e outras estruturas básicas que não foram distribuídas equitativamente pelo país? Não direi que apenas olha para o umbigo, mas tem um sentido restritivo da coisa pública, direi mesmo retrógrado como quem via estas questões há quinhentos anos. Acha correcto ou justo que só Coimbra Lisboa Porto e pouco mais detenham o monopólio do ensino universitário publico? Só se podem formar Doutores nestas universidades que tantos contribuíram para o progresso de um povo que desejamos ainda mais civilizado e culto?

Viseu tem direito e deve ter ensino Universitário público, temos os mesmos direitos e deveres daqueles que sempre o detiveram e não querem abrir mão deste monopólio para outras cidades ou regiões, entendemos mesmo que a abrir uma faculdade de medicina em Viseu devia ser enquadrada na UP, assim como outros cursos mesmo que funcionem nas privadas, ou estas situações não existem em Coimbra?

O privado sem fins lucrativos é muito subjectivo, será justo que um curso de papel e lápis numa destas instituições custe, além de outras despesas (inscrições matrículas, etc., por mês 270 €? mas é verdade.

Jacinto Figueiredo, 21/6/04